quarta-feira, 16 de julho de 2008



















Gira Dança encerra a noite de comemoração dos dez anos da Cia do Intercâmbio, realizado no dia 11 de julho na Casa da Ribeira, onde teve a renda revertida para as açãos do Espaço Gira Dança. Deixando os agradecimentos as toda galerinha do High School 2008 e em especial a toda equipe da Cia do Intercâmbio.

Equipe 10 Reunida



















Christiane Alecrim, Orlando Seabra, Daniele Medeiros e Manu Moura,
Equipe em comemoração aos dez anos da Cia do Intercâmbio.
O brilho nos olhos já dizem tudo! Parabéns para todos !

Uma Galerinha Muito Especial!



















Essa é a Turma de High School 2008 da Cia do Intercâmbio,
que deram um show de interpretação no palco da Casa da Ribeira,
na despedida para os pais, antes do embarque!!

terça-feira, 8 de julho de 2008
























Após 8 anos de reinauguração do Teatro Santa Isabel, o Gira Dança deixa seu registro de inauguração do camarim e de todas acessibilidades construída no Teatro que hoje é Patrimônio Histórico da Humanidade.







Preparação da companhia antes da apresentação do espetáculo Corpo Estranho, no Teatro Santa Isabel no dia 03 de julho de 2008, Recife/PE, na 6a. Mostra Brasileira de Dança do Recife.

Depoimento


















Tive o privilégio de ver a apresentação do grupo no Teatro Santa Isabel no Recife, confesso que foi demais. vocês estão de parabéns, muita gente se emovionou, inclusive eu. PARABÉNS PELO PROJETO.

Márcio Alexandre de Freitas
Recife/PE

domingo, 6 de julho de 2008

Gira amor

Gira o beijo ausente daquela ave que se foi,
gira a flor girando o sol que vai além,
gira, gerando a vida em carrossel de amor,
gira o mundo e com ele eu giro também.

Gira a ciranda embalando a infância sob o sol maior,
gira a criança na dança da fita que traz a lembrança,
gira o riso inocente nos lábios que sonham com beijo
girando a mente que eclodi em desejo e esperança.

Gira em mim a menina mulher clamando complacente,
gira em prece, ânsia, desejo, gira e dança sua história,
gira na busca e na espera, gira no beijo, gira em esfera,
gira amante menina poeta em rimas traçadas na memória.

Gira o mundo, gira a flor e gira a menina do beijo,
gira a vida em dança de fita, eterna ciranda gerando amor,
gira a mente, o riso inocente, gira a amante em rima poeta
gira cantando o amor que gira o sol seduzido pela flor.
Aisha

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Depoimento





Falar dos meninos do Gira é sempre um prazer e sempre um desafio. Com Anderson, que é com quem eu convivo de uma maneira mais próxima, eu aprendi a olhar as coisas de uma segunda, terceira, infinitas maneiras. Porque a principal ação do Gira em mim foi essa: a de aprender que as coisas não podem ser generalizadas, encaixotadas, padronizadas quando falamos de arte, quando falamos de seres humanos. Os espetáculos são tão cheios de conteúdo, de mensagens coerentes e harmoniosas, que provam ao Brasil inteiro sua qualidade. Afinal, não é à toa que os prêmios, cada vez mais freqüentes, e as seleções para os festivais acontecem. Trabalhar para/com eles não é trabalho. É orgulho. Eu me sinto apaludido quando recebo convites de Anderson. É como se ele dissesse "Você merece fazer parte do meu sonho". O Gira é um sonho. A dança é um sonho. O respeito ao ser humano, aqui, é realidade.

Marcel Macêdo

terça-feira, 22 de abril de 2008

Depoimento

Reconhecer o talento do Anderson Leão, é um dever de quem conhece o grupo Gira Dança,trabalho de alto nível internacional,tenho imenso prazer em apoiar,este espetaculo de trabalho.


Leonardo Vasconcelos (Empresário)

Depoimento

Parabéns Anderson por mais um trabalho desenvolvido, tenho certeza que será mais um grande sucesso, assim como foram os outros. Tambem, com uma equipe destas! Todos muito profisionais e talentoso. Mande meu carinho e desejo de sucesso a jo, a beto, sue, balta e a jeferson, e pra vc nem precisa falar. Tudo de bom nesta nova etapa. Abracos a todos

Fábio Miranda ( Bombeiro )

Depoimento

O vermelho tão presente neste cenário e nos corpos me remete ao sangue, à vida, que está em nós e que somos nós, por mais que exista esse estranhamento com nossos corpos. A dignidade com que isso nos é mostrado me faz lembrar que apesar deste estranhamento existe também um estar à vontade quando sabemos o que queremos dizer, diante da certeza do que queremos mostrar com nosso discurso, com nossos corpos em movimento e com nossos corações. Perder-se e achar-se, seja em cadeiras de roda ou não. Mas sempre continuar em movimento. Precisamos sem lembrados disso constantemente, como faz "Corpo Estranho" e o Gira Dança. Parabéns.


(George Holanda, ator).