segunda-feira, 30 de junho de 2008

Depoimento





Falar dos meninos do Gira é sempre um prazer e sempre um desafio. Com Anderson, que é com quem eu convivo de uma maneira mais próxima, eu aprendi a olhar as coisas de uma segunda, terceira, infinitas maneiras. Porque a principal ação do Gira em mim foi essa: a de aprender que as coisas não podem ser generalizadas, encaixotadas, padronizadas quando falamos de arte, quando falamos de seres humanos. Os espetáculos são tão cheios de conteúdo, de mensagens coerentes e harmoniosas, que provam ao Brasil inteiro sua qualidade. Afinal, não é à toa que os prêmios, cada vez mais freqüentes, e as seleções para os festivais acontecem. Trabalhar para/com eles não é trabalho. É orgulho. Eu me sinto apaludido quando recebo convites de Anderson. É como se ele dissesse "Você merece fazer parte do meu sonho". O Gira é um sonho. A dança é um sonho. O respeito ao ser humano, aqui, é realidade.

Marcel Macêdo